CC Radio Portugal

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Mãe: Sinto tanto a tua ausência!

Sinto a falta do teu sorriso
Sinto a falta das tuas gargalhadas
A falta da tua mão que me estendias sempre que querias um abraço, ou um beijo!
Sinto a falta do teu olhar!
Algo que sempre te disse é que tinhas um olhar muito bonito:
O teu olhar era o espelho da tua alma,
E nos ultimos anos... nos ultimos dois anos, a tristeza invadira.te a alma!
E eu.. sentia-me tão impotente!
ajoeilhei-me algumas vezes aos pés da tua cama, observando-te, bebia as lagrimas e escondia a minha dor!
O meu pavor era enorme.. o medo de te perder!
Quantas noites, mas quantas noites choravas em silencio!
Eu sei que sim!
Recorda.te que mal dormia, tinha receio que algo te acontecesse e/ou que eu não desse por tal!
Quantas noites chorei em silêncio, pedindo a Deus, que te desse mais saúde!
Que te devolvesse o andar...
Eu sei que foste uma lutadora nata!
Acho que até ao momento, ainda não fui capaz de fazer o meu luto...
O sentimento de revolta é maior, não contigo, eu sei que nos ultimos dias muito lutaste para sobreviver.. mas o teu quadro era tão negro...
Os ultimos dias que mal conseguia chegar a ti, pela gripada que naquela altura me atacara fortemente!
Junto à porta da enfermaria te observava.. mas não podia sequer... dar-te um beijo ou abraçar-te!
Tinhas dias que me reconhecias, outros nem por isso!
Mas sei que estavas consciente quando partiste!
Mãe! Sinto tanto a tua ausência!
Fazes-me tanta falta...
Desde então não ha dia que as lágrimas não me inundem, tento sim! tento manter-me firme.
Mas sózinha no meu quarto sabes perfeitamente o quanto me recordo de ti.
Partiste!
Já sofrias imenso!
O que mais me revolta é que para morrer não era necessário sofrermos tanto!
Não como sofreste: foi completamente injusto!
Levaste uma vida inteira a lutar, a sofrer por conseguir atingir objectivos muitos deles sem conseguir resultados desejados.
Foi injusto...
Mas o que mais dói.. é a tua ausência: de não te ver mais, não te tocar, não te beijar, não te ouvir... de ver a casa.. vazia, sem as tuas palavras!
Restam apenas... recordações..
Recordações.. dor... e a saudade do eterno...
Adeus!

Adoro-te Mãe!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Comente!,